acompanhamento Camila Fiori

O que é Taxa de Rejeição e como diminuí-la

Taxa de Rejeição - Bounce rate Você sabe qual é a Taxa de Rejeição de seu site? Se não sabe, este artigo é muito importante para você, pois explicará esse conceito importante que é um dos pontos para medir a qualidade do seu trabalho. Se você sabe a resposta, ele também é importante pois trará orientações para auxiliá-lo a diminuir a taxa de rejeição do seu site. Além disso, o artigo mostrará dados sobre a taxa de rejeição e outras informações de diversos sites. Esses números permitirão que você avalie se os seus números estão dentro ou fora da média dos outros sites. Essa parte do artigo só foi possível graças à importante colaboração de outros proprietários de blogs, que concordaram em responder algumas perguntas para o levantamento que fiz para esta matéria. Além disso, cada um deles colaborou com dicas preciosas para otimizar as visitas do site e diminuir sua taxa de rejeição. Desde já, o meu imenso muito obrigado a cada um desses colaboradores. No final do artigo estão citados os seus sites, como forma de reconhecimento e agradecimento.  

1. O que é a Taxa de Rejeição?

A Taxa de Rejeição (ou “Bounce Rate”, no termo original em inglês) é o percentual de visitantes que chegou até o seu site, visualizou apenas uma página (chamada de “página de entrada”) e saiu dele, sem clicar em nenhuma outra página sua. Por exemplo: se 100 pessoas visitaram seu blog e 75 delas só leram a página principal, sua taxa de rejeição é de 75%. O termo Taxa de Rejeição é forte, porque subentende que os visitantes que estão nessa categoria “rejeitaram” o seu site ou blog. Isso é encarado dessa forma porque, se o visitante não quis visitar nenhuma outra página sua, é porque provavelmente ele não achou o restante do conteúdo interessante. Por esse motivo, a Taxa de Rejeição é utilizada como um indicador da qualidade do seu site: quanto menor a sua taxa, mais interessante é o seu conteúdo. Isso nem sempre é verdade, e vou discutir isso logo abaixo.  

2. Como saber minha Taxa de Rejeição?

Para descobrir a taxa de rejeição do seu site, você precisa utilizar ferramentas de análise de tráfego. A boa notícia é que existem ótimas ferramentas grátis para fazer esse trabalho. Abaixo estão as duas principais. Em cada uma delas, está o link do artigo onde mostrei como utilizá-las, e também onde você irá conseguir visualizar a taxa.

2.1. Google Analytics

2.1.1. Inscreva-se na ferramenta: Google Analytics: Conheça quem visita seu site.
2.2.2. No painel principal, o item “Taxa de Rejeição” será exibido logo abaixo do gráfico. Ao clicar nesse item, será mostrada a taxa dia-a-dia.

 
2.2. Woopra

2.2.1. Inscreva-se na ferramenta: Acompanhe os visitantes de seu site com o Woopra .
2.2.2. Acesse a ferramenta e entre na página de gerenciamento do seu site.
2.2.3. Acesse a opção “Analytics” e, depois, “Bounce Rate”.  

3. A Taxa de Rejeição é um medidor confiável?

O conceito da Taxa de Rejeição é amplamente utilizado como base para analisar a qualidade do site. No entanto, nem sempre uma taxa de rejeição alta indica um site com baixa qualidade. Abaixo estão algumas críticas e ressalvas que tenho com relação a isso:

  • Para o cálculo, não importa o tempo que a pessoa permaneceu em seu site. Se, por exemplo, ela acessou a página principal do seu blog, ficou durante 1 hora lendo os posts que estão nela e depois saiu, ela ainda será considerada na taxa de rejeição. Se, por outro lado, outra pessoa entrou também na página principal, clicou em um link de um artigo e saiu depois de alguns segundos, esta não fará parte da taxa. Por isso, além da Taxa de Rejeição, é importante sempre avaliar o Tempo Médio no Site, outro índice que é dado pelas ferramentas de análise. Se este número também for baixo, é porque o conteúdo do site realmente não está atrativo.
  • Especialmente no caso de blogs, existem aqueles que já exibem na página principal diversos artigos completos. Assim, o visitante pode ter lido diversos posts e mesmo assim ter sido incluído na taxa de rejeição, por não ter saído da página principal.
  • Leitores fiéis que acompanham o seu trabalho através de RSS normalmente vão até o seu site para ler um artigo específico, assim que receber o alerta em seu leitor de feeds. Muitas vezes, ele não sairá daquela página de entrada porque já leu os outros artigos.

 

4. Devo me preocupar com a Taxa de Rejeição?

À primeira vista, este número pode parecer importantíssimo. No entanto, como eu já disse, nem sempre um número alto indica um site ruim. Alguns desses motivos estão no item acima. Já li alguns artigos na internet que supõem que o Google utiliza a taxa de rejeição para ordenar o resultado das buscas feitas na ferramenta. Segundo essa teoria, uma taxa de rejeição baixa seria um dos fatores que fariam com que um site aparecesse antes dos outros no resultado. Particularmente, discordo dessa teoria. O principal motivo é que o Google não conhece a taxa de rejeição de todos os sites que são indexados por eles. Ele somente conhece esse número daqueles sites que, espontaneamente, decidem se afiliar ao Google Analytics. Mas, o cálculo que o Google faz não é divulgado, então nenhuma dessas teorias pode ser tomada como certa. Independente disso, se você possui uma Taxa de Rejeição alta e um Tempo Médio no Site baixo, é hora de se preocupar. Esses visitantes podem nunca mais voltar ao seu site. Os principais motivos que podem levar a essa situação:

 

  • Conteúdo que não interessa ao visitante (isso pode acontecer principalmente quando ele chega através de uma ferramenta de busca);
  • Layout confuso, que não permite ao visitante localizar o conteúdo que ele quer;
  • Páginas pesadas e demoradas para carregar, que fazem com que o visitante desista de esperar;
  • Inexistência de outras páginas que possuam conteúdo relacionado ao que está sendo lido.

 

5. Minha Taxa de Rejeição é aceitável?

Uma dúvida que já deve ter surgido neste ponto é: “como sei se a minha taxa de rejeição é aceitável?”. Se você já é usuário do Google Analytics, pode fazer isso pela própria ferramenta, comparando-o com outros sites similares. Se não sabe como, leia o artigo Google Analytics: Comparando seu site com a concorrência. Como eu comentei no início deste artigo, para escrevê-lo eu fiz uma pesquisa com outros proprietários de sites, justamente para poder trazer neste artigo números reais sobre o assunto. Participaram da pesquisa 19 sites – blogs, em sua maioria – dos mais variados tamanhos e tempo de vida. Nos gráficos abaixo estão mostrados alguns fatores que comprovam essa variedade. Taxa de Rejeição - Bounce rate  Taxa de Rejeição - Bounce rate
Taxa de Rejeição - Bounce rate  Taxa de Rejeição - Bounce rate   No gráfico abaixo, está demonstrada a Taxa de Rejeição desse universo de sites: Taxa de Rejeição - Bounce rate As conclusões que podemos tirar desse números:

  • Em sua maioria, os sites apresentam uma taxa de rejeição entre 50 e 75%.
  • É extremamente difícil – embora não seja impossível – obter uma taxa abaixo dos 25%.
  • Os sites com domínio próprio apresentam menor taxa de rejeição (apenas 18% deles apresentam taxas acima de 75%).
  • O cruzamento dos demais dados não leva a nenhuma conclusão relevante: independente do PageRank, Idade do Site ou Visitantes/Dia, a taxa de rejeição apresenta uma distribuição parecida.

 

6. Como diminuir minha Taxa de Rejeição?

Os participantes da pesquisa citaram também quais são as ações que tomam a fim de diminuir ou manter uma Taxa de Rejeição baixa. A seguir, estão agrupadas e listadas as dicas recebidas, adicionadas de algumas de minha própria experiência:

  • Layout – Seu site deve ser organizado, causando boa impressão ao visitante e permitindo que ele encontre o que quer. Do contrário, um site mal organizado irá espantar o visitante, antes mesmo que ele termine de ler o artigo atual. Da mesma forma, páginas pesadas e lentas para carregar devem ser evitadas.
  • Artigos relacionados ao post atual – É uma ótima ideia mostrar ao visitante outros artigos seus sobre o mesmo assunto que ele está lendo. Isso pode ser feito manualmente, ou com ferramentas como o LinkWithin ou o Outbrain.
  • Artigos mais populares – Outra ideia interessante é listar os seus artigos que receberam mais visitas ou comentários. Normalmente, esses artigos são os que mais interesse despertaram. Como o item anterior, ele também pode ser manual, ou com gadgets específicos. O próprio Blogger oferece um bastante interessante..
  • Links para outros artigos – Outra forma de atrair o visitante para outros posts, é fazer um link para eles em seu próprio texto, como fiz neste texto, desde que eles estejam relacionados com o assunto atual. É uma ótima forma de complementar a informação.
  • Conteúdo para palavras-chave com alta rejeição – O Google Analytics permite que você veja quais foram as palavras chave que geraram maior taxa de rejeição. Você pode se basear nisso para criar conteúdos que atraiam esse visitante.
  • Otimizar seu site para ferramentas de busca – Um dos fatores que geram a rejeição é o visitante chegar por uma ferramenta de busca a uma página que não contém o que ele esperava. Isso pode ser evitado – ou diminuído – quando você faz um bom trabalho de otimização. Para algumas dicas, leia o artigo 15 dicas de SEO do Google para iniciantes.
  • Textos concisos e bem organizados – Evite escrever textos enormes, cansativos e mal-organizados. Isso cansa e espanta o visitante. Divida-o em tópicos, use figuras e organize suas ideias.
  • Tags e categorias – Este é outro recurso que pode atrair o visitante a ler outros artigos similares. Assim, divida seus artigos em categorias e crie tags para indicar outros que estejam relacionados.
  • Resumo dos artigos na página principal – Para evitar que o leitor veja seus artigos completos já na página inicial, faça apenas uma chamada para o assunto e mostre o conteúdo completo após ele clicar em um “Leia mais” ou similar. Leia sobre isso em Resumo da postagem na página principal.
  • Séries de artigos – Se o assunto é extenso, divida-o em séries de artigos. No início ou final de cada artigo, deixe claro que se trata de uma série e coloque os links para os demais artigos.
  • Diversificação de serviços – Crie outros serviços que atraiam o visitante. Nessa categoria podem se enquadrar enquetes, biblioteca de imagens, aplicativos, promoções e o que mais sua criatividade permitir.

E, uma última e importante dica: analise com cuidado as sugestões acima e escolha as que se adequam ao seu trabalho. Nem todas elas trarão um resultado positivo e imediato. Algumas podem até ter efeito contrário e aumentar sua taxa de rejeição. Minha recomendação é que você as implemente gradativamente e verifique se a Taxa de Rejeição realmente diminuiu com o tempo. Caso tenha funcionado, parta para a próxima. Em caso negativo, descarte a ideia que não funcionou.  

7. Sites participantes

Abaixo estão alguns dos sites que participaram da pesquisa que me permitiu escrever este artigo. Agradeço mais uma vez a disposição e confiança dos proprietários desses sites, que não só me divulgaram dados importantes como também colaboraram com dicas e orientações preciosas. O meu muito obrigado a vocês! A você, leitor deste post, recomendo a visita aos sites abaixo, que tratam dos mais variados assuntos. Com certeza, você encontrará artigos interessantes! Blog do Caipira
Blog do Catarino
Curiosando
Defenda a Ilha
Taciana Smania
Fora do Ar
Gerenciando Blog
Info – Macross
Link-Me
Loukos por Seriados
Nota Preta
Poltrona
TD Séries   E você, acompanha a Taxa de Rejeição do seu blog? Quer compartilhar seu resultado? Deixe um comentário!

Sobre o autor | Website

Apaixonada por comunicação. Formada em Jornalismo e blogueira por Hobbie. Atual responsável por este e vários outros blogs de Internet Marketing.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

144 Comentários

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.