publicação Camila Fiori

O que é Nofollow?

NoFollow200Você já ouviu falar sobre o “nofollow”? Mesmo que sua resposta seja negativa, é bastante provável que você o utilize em seu blog. Trata-se de um recurso criado pelo Google e que indica que um determinado link não deve ser “seguido” pelos seus indexadores. A intenção pode ter sido boa, mas isso impede uma forma de contribuição importante entre sites e blogs. Aprenda neste artigo o que é o “nofollow” e tome sua decisão sobre utilizá-lo ou não.

Introdução

Você sabe o que é o “nofollow” e para que ele serve? Imagino que poucos responderam positivamente esta pergunta. Isso é natural: apesar de ter sido criado em 2005, o “nofollow” é um recurso pouco divulgado, e por isso mesmo pouco conhecido entre quem tem um blog. Mesmo assim, é grande a chance de que ele esteja ativado em seu blog – esteja ele no Blogger ou no WordPress – mesmo sem você saber. O que pretendo neste artigo é explicar exatamente o que é o “nofollow”, para que você possa então decidir-se se o manterá ou não em seu blog.
Em fevereiro/2009, já tratei o assunto no artigo “Nofollow” em comentários do blog – Injustiça ou necessidade?, em meu outro blog, mas o assunto merece uma visão revisada. Até hoje, ele gera discussão.

O que é o nofollow?

Literalmente, o “nofollow” pode ser traduzido como “não siga”. É uma instrução utilizada pelo Google e outros mecanismos de busca quando ele encontra um link em qualquer site ou blog. Se ele estiver marcado como “nofollow”, ele será ignorado.
Abaixo, mostro como fica o código HTML de um link com o “nofollow” ativado:
<a href=”https://www.gerenciandoblog.com.br” rel=”nofollow”>Gerenciando Blog
</a>
Notou o trecho rel=”nofollow” destacado em vermelho? Isso indica que esse é um link “nofollow”. Ele normalmente só pode ser visto analisando o código-fonte de uma página, pois a exibição do link para o visitante é mostrada normalmente.

Quais são as consequências do “nofollow”?

Para entender as consequências que o “nofollow” traz, é necessário antes revisar os benefícios que os backlinks trazem ao seu site ou blog. Como expliquei no artigo Monitorando seus Backlinks, um backlink é um link deixado em outro site apontando para o seu. Por exemplo: quando um artigo seu é citado em um blog, seu artigo ganhou um backlink. O mesmo acontece quando você consegue a publicação do seu link em um agregador de notícias ou quando você deixa um comentário em um blog assinando com o link do seu blog.
Além das visitas que esse backlink traz ao seu blog, há outros dois benefícios que você recebe:
1. Os backlinks contam “pontos” para que o Google calcule o PageRank de suas páginas. De forma simples, quanto mais backlinks de qualidade sua página possuir, maior será o seu PageRank. Você pode ver mais detalhes em O Google PageRank Ainda é Importante?.
2. Outra importância dos backlinks é que eles são extremamente importantes para determinar a posição de suas páginas no resultado das buscas do Google e outros buscadores). Quanto mais backlinks apontando para seu artigo (especialmente em páginas que tratem do mesmo tema), mais bem posicionado você ficará nos resultados. Esse não é o único fator considerado, mas é um dos mais importantes. Veja mais detalhes em Google e a Ditadura dos Top 10 – Parte 3.
 
O grande problema é que o nofollow anula esses dois benefícios. Quando você recebe um link “nofollow”, ele não será considerado nem para calcular o seu PageRank, nem para posicionar melhor os seus resultados. Mas, você continuará tendo os benefícios trazidos pela divulgação: quando o visitante clicar naquele link, ele será levado normalmente para o seu site ou blog.

Para que serve o “nofollow”?

O “nofollow” não é de todo ruim. Houve bons motivos para que o Google o criasse. Segundo informações do próprio Google, citadas no artigo Sobre rel=”nofollow”, há algumas situações em que ele é recomendado:
  • Links para conteúdo não confiável – Se você quer citar em um artigo o link de um plagiador, uma empresa que presta mal serviço ou um site em que você não confia, faz todo o sentido utilizar o “nofollow”. Afinal, não há porque beneficiar esses sites.
  • Links pagos – O Google recomenda que você coloque o “nofollow” em links pagos em seu blog, como venda de publicidade, para evitar que o resultado de buscas seja distorcido. Mais detalhes no artigo Links pagos, também escrito pelo Google.
  • Links inacessíveis – Outra recomendação é que o “nofollow” seja utilizado em links que apontam para páginas protegidas, que os usuários só terão acesso ao digitar uma senha, por exemplo.
O problema, em minha visão, é que o uso do “nofollow” foi descaracterizado: para evitar o uso de comentários para spam, todos os comentários do Blogger e WordPress possuem o “nofollow” ativado. Isso significa que, ao deixar comentário em um blog com o “nofollow”, você não se beneficiará do que citei no item anterior. Particularmente, é como se você recebesse uma mensagem: “Você pode deixar seu comentário aqui, mas não confio em seu site, por isso eu não o indicarei nos resultados das buscas do Google”.
Em minha visão, é mais simples não permitir comentários apontando para sites que você não confia ou não recomenda. Quanto aos spams, tanto o Blogger quanto o WordPress possuem mecanismos eficazes para evitá-los.
Também é falsa a ideia de que publicar links sem o “nofollow” derrubam o seu PageRank. Diferente do que alguns pensam, você não divide o seu PageRank entre os links “follow” (que é contrário do “nofollow”) que há em sua página. O que você divide é o seu “poder de voto”: quanto mais sites você apontar, menor será a sua contribuição para cada um deles.

Como verificar se o “nofollow” está ativado?

Minha primeira sugestão: abra uma página do seu próprio blog de  um artigo que possua comentários, para você avaliar se utiliza o “nofollow”. Utilize uma das técnicas abaixo:
1. Em qualquer navegador, exiba o código-fonte da página. Isso normalmente é possível clicando com o botão direito do mouse sobre a página e escolhendo a opção “Visualizar código-fonte”, “Exibir código fonte”, “View source” ou similar. Na página HTML que abrir, procure a expressão rel=”nofollow”. Se ela estiver presente em um link, significa que o nofollow está ativado para ele.
2. Se você utiliza o Google Chrome como navegador, instale a extensão Chrome SEO. Ela possui uma opção para que os links “nofollow” apareçam em destaque em sua tela.
3. Se você utiliza o FireFox, o complemento SearchStatus também possui uma opção para destacar os links com o “nofollow” ativado.
Como eu disse ao longo do artigo, é bastante provável que você perceba que o “nofollow” está ativado em seu blog, especialmente nos links deixados em comentários. Isso porque foi definido que, por padrão, todos os links em comentários e listas de blogs vêm com o “nofollow” ativado, a não ser que você o desative.

Minha opinião

O uso do “nofollow” é um assunto que divide opiniões. Particularmente, vejo-o como uma restrição de um dos princípios básicos da internet, que é a integração entre os milhões de páginas existentes. O compartilhamento de links é essencial para o seu correto posicionamento.
Também considero que, quem comenta corretamente em meu blog está colaborando comigo e ajudando na evolução do meu trabalho. Nada mais natural que eu retribua essa dedicação, auxiliando-os também na evolução de seus blogs. Por que então tratar seus links com o “nofollow”?
Mas, não sou extremista, como já li em alguns artigos sobre o tema. Campanhas como “não comente em blogs nofollow” não são a solução. O que é importante – e este é o objetivo principal deste artigo – é que todos tenham consciência do que o “nofollow” significa, para que cada um possa tomar sua própria decisão sobre mantê-lo ativo ou não. O que é ruim é ver o recurso ativado automaticamente, sem ciência de que o usa.
E, se quiser ler a opiniões de outros autores, sugiro os textos abaixo:

Como desativar o “nofollow”?

Depois de ler todas as considerações, sugiro que você as pese e decida o que é melhor. Se decidir-se por desativar o “nofollow” em seu blog – especialmente nos comentários dos artigos – seguem as instruções:

A. WordPress

Para desativar o “nofollow” dos comentários no WordPress, é necessário instalar um plugin para isso, como o DoFollow.

B. Blogger

No Blogger, a desativação deve ser feita editando o HTML de seu template e removendo os trechos que colocam o “nofollow” nos links. Siga as instruções:
1. Acesse http://www.blogger.com e entre com seu usuário e senha.
2. Entre no “Design” do seu blog.
3. Acesse a aba “Editar HTML” e marque a opção “Expandir modelos de widgets”.
4. Selecione o código que aparecer na caixa “Editar modelo” e cole-o em um editor de textos (como o Bloco de Notas ou o Notepad++).
IMPORTANTE: Por segurança, salve uma cópia desse arquivo, sem alterações, para que você possa voltá-lo em caso de problemas.
5. No código, procure pelo texto rel=’nofollow’. Ele pode aparecer 2 ou 3 vezes. O importante é apagá-lo quando você encontrá-lo próximo do texto data:comment.authorUrl. Esse é justamente o local onde fica o endereço de quem comentou em seu blog.
6. Copie o texto alterado e cole-o de volta na caixa “Editar HTML”.
7. Clique em “Salvar Modelo”.
Pronto! Agora, mesmo os comentários que já existiam antes em seu blog já estão sem o “nofollow” no endereço de quem comentou.

Conclusão

Espero ter sido capaz de esclarecer o assunto de forma suficiente para você tomar sua decisão. O “nofollow” é um assunto que costuma gerar polêmica e há defensores de ambos os lados, tanto para mantê-lo quanto para removê-lo. Os comentários estão abertos para todos!

Sobre o autor | Website

Apaixonada por comunicação. Formada em Jornalismo e blogueira por Hobbie. Atual responsável por este e vários outros blogs de Internet Marketing.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

122 Comentários

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.