humor Diego Bini

Como usar o humor no marketing do jeito certo

Se você é um profissional publicitário, precisa aprender como usar o humor no marketing. Afinal, fazer rir é uma das melhores formas de conseguir persuadir o seu público-alvo.

O riso, além de fazer um bem danado para a saúde, ainda desarma as barreiras emocionais e psicológicas que o consumidor tenha. Por causa disso, ele fica mais propenso a receber a sua mensagem com atenção e boa vontade, o que é um cenário fértil para conseguir plantar a ideia que você quer passar.

No entanto, não basta apenas colocar algumas piadas para fazer seus anúncios funcionarem. É importante saber como usar o humor no marketing do jeito certo. Quer aprender? Então siga a leitura!

Entenda como usar o humor no marketing com públicos diferentes

Suponha que você foi designado pelo diretor de marketing de uma agência a desenvolver duas campanhas publicitárias para dois clientes diferentes.

O primeiro cliente é uma oficina mecânica de São Paulo, cujo público-alvo são homens entre os 40 e 50 anos, moradores dos bairros mais tradicionais de classe média da cidade.

Já o segundo cliente é uma startup fintech que quer pegar como cliente os jovens entre 18 e 23 anos, que estão na faculdade agora e estão prestes a entrar no mercado de trabalho, começar a morar sozinho pela primeira vez ou ainda recebem mesada dos pais.

Dá para ter uma comunicação igual entre esses públicos? Será que as piadas que funcionam para um, vão funcionar para outro? É claro que alguns tipos de brincadeiras podem dar resultados para ambos, mas em geral não.

Para o primeiro público, talvez algo do site piadas.biz possa ser mais útil. Já o segundo público vai exigir algum meme, um humor de rede social, ágil e rápido.

É importante pensar quem é o seu público para entender o que faz sentido em termos de humor com ele.

Entenda qual a lógica central do humor

Existem basicamente dois grandes tipos de humor que fazem mais sucesso atualmente. O primeiro deles é mais clássico e gira ao redor da lógica básica do que nos faz rir.

 

Em poucas palavras, estamos falando da relação entre subverter expectativas de modo a causar uma reação de “curto-circuito” no cérebro. Normalmente, isso acontece quando nós quebramos a expectativa do público ao levá-lo a pensar em uma conclusão, mas só depois revelar que estamos falando de outra coisa.

Já o segundo grande tipo de humor que existe atualmente é o de referência. Basicamente, a ideia de fazer uma referência a algo que já existe ou a uma piada interna com o consumidor cria uma intimidade muito interessante.

Ambas as alternativas são muito interessantes, mas devem ser usadas com cautela. Analise bem para ver qual delas é a mais vantajosa e traz mais resultados para a sua campanha.

E por falar nisso…

Teste, teste e teste todas as suas piadas

Um erro muito comum de quem quer começar a usar humor no marketing é falhar em testar as piadas com o seu público-alvo antes de usá-las nas campanhas. O problema disso é que nem sempre o que você considera engraçado vai funcionar como marketing.

Lembre-se de que o objetivo de uma campanha publicitária é vender. Ao usarmos o humor, queremos quebrar a barreira do consumidor e entregar nossa mensagem de venda com maior eficácia.

Por isso, mesmo que você tenha uma postura específica sobre o que é engraçado ou não, o importante é usar aquilo que funciona melhor para a empresa e que trará mais resultados.

Por isso, faça vários testes com públicos e entenda o que faz as pessoas rirem e o que não faz.

E aí, aprendeu como usar humor no marketing do jeito certo? Então compartilhe este conteúdo com a sua equipe para as próximas campanhas da empresa!

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.