guest post Mônica Godinho

Iniciante: 4 passos que precisa saber para iniciar um blog

Com a disseminação da internet nas últimas décadas, poucas estratégias têm feito tanto sucesso quanto a do marketing de conteúdo. Dentro dessa modalidade, não tem nada tão importante quanto criar um blog e mantê-lo em dia com as publicações.

Foi-se o tempo em que um blog servia apenas como um diário aberto ou mesmo como uma plataforma de comunicação para jornalistas, opinadores e até outros tipos de influenciadores digitais (que hoje estão especialmente nas redes sociais).

Ele se tornou uma ferramenta digital bastante importante para empresas de todos os tamanhos e segmentos de mercado.

Até porque, poucas táticas de marketing digital chegam a ser tão acessíveis quanto um blog, que muitas vezes não custa absolutamente nada para a empresa. Os valores só vão surgir caso haja redatores, anúncios e fins, como veremos abaixo.

As funções do blog podem ir desde simplesmente marcar presença na esfera digital, passando pela geração de leads e oportunidades de curto prazo até o fortalecimento de uma marca no médio e no longo prazo.

Seja como for, para que tudo isso se realize de maneira assertiva e realmente sustentável, é preciso levar em conta vários conhecimentos, conceitos e dicas práticas. Por isso, a relevância desse artigo, que ajudará os iniciantes.

Hoje muitas empresas tentam entrar nesse universo incrível e cheio de oportunidades que é o dos blogs e da geração de conteúdo. Porém, acabam desistindo por não conseguirem os resultados esperados.

Até porque, a internet tem uma vantagem, que é também um desafio: ela é bastante democrática. Se na época em que a televisão e o rádio dominavam os meios de comunicação poucas empresas tinham tais espaços, isso mudou muito.

Atualmente, as maiores vitrines se encontram na web, seja nos blogs e motores de busca, seja nas redes sociais. O fato é que qualquer empresa pode marcar presença ali e inserir sua marca nessas plataformas (como vimos, até mesmo de graça).

Por outro lado, o que isso cria é uma concorrência muito maior, baseada no mérito e na capacidade que cada um tenha de fazer a diferença, de se tornar realmente relevante e enriquecedor para o público. É aí que entra o papel dos blogs.

O seu pode se tornar apenas mais um no meio da multidão, ou ser uma referência, mudando a realidade da sua empresa. Para compreender como isso funciona, basta seguir adiante nessas dicas especiais que preparamos.

1. Segmento, hospedagem e domínio

Tudo começa com um bom planejamento. Com os blogs não é diferente, existem alguns passos que se pode e precisa dar, que dizem respeito à escolha do segmento, da plataforma utilizada, da hospedagem do site, do domínio, entre outros.

Para uma empresa que trabalha com lembrancinha de maternidade menino, a escolha do segmento e dos assuntos que serão tratados não é difícil. Mas, quem tem só o desejo de se tornar um blogueiro, precisa primeiro decidir qual vai ser o seu tema principal.

As questões técnicas ligadas a hospedagem, domínio e afins, hoje são automatizadas por várias plataformas. Elas permitem que você crie seu blog com poucos cliques, já começando a publicar artigos dentro de poucas horas ou minutos.

Quem tem habilidade em programação pode recorrer a projetos mais complexos, que integram plugins ou frentes como uma loja virtual. Mas, a princípio, enquanto o foco recair sobre o blog, é possível fazer muito com pouco conhecimento.

Lembrando que não apenas os serviços de hospedagem podem ser gratuitos para quem estiver iniciando, como também a própria rotina de publicação se mantém sem custos nesses estágios mais simples.

Na prática, um blog sobre anel de compromisso folheado a ouro pode permanecer eternamente gratuito, caso a rotina de publicações não fuja do básico. O que já inclui muitas funções e possibilidades.

A razão por que isso é assim, tem tudo a ver com o marketing digital e com o perfil das novas gerações. De fato, o que as plataformas de blog fazem é o que o seu blog vai precisar fazer com o seu próprio público, como ficará claro adiante.

2. Gerações Y e Z e as novas tendências

Não é possível falar sobre blogs e geração de conteúdo sem falar nas Gerações Y e Z. Trata-se das pessoas nascidas nas décadas de 1980 e dos anos 2000 para cá, cujos hábitos de consumo de produtos e informações passaram por uma revolução.

Pare para pensar, antes do microcomputador e da internet, em como alguém cotava o valor de um produto simples como um abadá personalizado masculino. Era preciso ligar para várias lojas, e ainda ter o trabalho de descobrir o contato de cada uma delas.

Hoje, a pessoa simplesmente abre um navegador no celular, digita ou pronuncia o que quer (com a opção voice search), e pronto. Com essa facilidade toda, a tal geração se tornou mais exigente e mais criteriosa.

O que um iniciante no universo do blog precisa compreender é que isso tem tudo a ver com o modo como se produzirá, o que se convencionou chamar de marketing de conteúdo, e como deverá ser essa interação com o público-alvo.

 

O que um blog faz hoje é tentar chamar a atenção dessa nova geração, e estabelecer um diálogo com ela, que seja realmente capaz de criar conexão, engajamento e a possibilidade de gerar leads e oportunidades.

No fundo, o interesse último de uma empresa é vender. Um blog sobre vinho seco frutado deve melhorar os resultados práticos e trazer mais vendas e mais lucro para a adega, por exemplo.

O problema é que isso não vai acontecer se o blog não seguir essas tendências. Por isso, adiante veremos como é possível identificar o público-alvo, e o que o marketing de conteúdo deve ter de realmente diferente na produção de um iniciante.

3. Por dentro do público e do conteúdo

Portanto, pode-se dizer que o blog é uma ferramenta de comunicação, cuja principal função comercial é divulgar produtos e serviços de maneira diferenciada. Agora, imagine pessoas que não se conhecem tentando se comunicar. Isso poderia ser algo difícil.

O primeiro passo é ver que hoje o conceito de público-alvo evoluiu bastante. Por exemplo, quando se trabalha com clínica emagrecimento, o público são pessoas que querem emagrecer. Porém, é possível dar um passo além e definir os perfis dessa persona.

As perguntas que podem contribuir para essa compreensão mais profunda são:

  • Onde encontrar meu cliente ideal?
  • O que ele mais gosta de ler na internet?
  • Quais concorrentes meus ele deve conhecer?
  • Como ele consome conteúdos e novidades?
  • O que ele adora que uma marca faça por ele?
  • O que ele odeia que aconteça nas negociações?
  • O que ele faz durante suas horas vagas?

Talvez não pareça, mas tudo isso são perguntas que ajudam você a impactá-lo na hora de criar e divulgar um post de blog. Aí é que entra o marketing de conteúdo, cuja filosofia consiste em gerar conteúdos relevantes e gratuitos, como iscas comerciais.

Se a pessoa vende pasta com bolsa interna, artigos como “As 10 principais funções de uma pasta” podem fazer um sucesso enorme. Depois poderá evoluir para materiais mais completos, como e-books, infográficos e similares.

O fato é que, com o blog se tornando uma referência em seu segmento, sempre que as pessoas forem comprar elas vão se lembrar dele.

4. Frequência de posts e divulgação

Tem alguns detalhes que os iniciantes deixam passar, mas fazem toda diferença. Um dos principais é a questão da agenda editorial e da frequência de postagens. Na verdade, decidir o que vai ser escrito um dia antes é o melhor caminho para o fracasso.

É preciso ter um ou dois meses de conteúdo gerado com antecedência, nem que seja apenas o rascunho dos artigos, mas de modo sortido. Se a papelaria trabalha com talão para sorteio, não é todo dia que o blog vai falar sobre isso. 

Então, é preciso fazer uma agenda com um mix de produtos e assuntos. Isso dá uma diversificada nos conteúdos, e dá a tranquilidade para fazer algo bem feito. 

O mais bacana da frequência (seja ela diária ou semanal) é que o público aprende a contar com o canal, e já espera a publicação no dia e hora de costume. A questão da divulgação pode ajudar nesse processo também.

No entanto, o primeiro modo de crescer é pela otimização de páginas, que serve para ranquear seu site nos grandes motores de busca, o que pode fazer toda diferença na história de um blog. 

De fato, quando alguém busca por algo como banho e tosa para gatos, os sites que aparecerão primeiro são os que terão mais visualizações e mais chances de crescer e trazer resultados.

No entanto, quando se vai fazer anúncios, que são os links patrocinados, é preciso seguir uma agenda de temas e de investimento (carregamento de créditos, por exemplo). Portanto, se pode alinhar isso com a agenda editorial, fazendo as duas coisas andarem juntas.

Sendo assim, qualquer iniciante pode criar um blog do absoluto zero, fazendo seu conteúdo engajar pessoas, criar oportunidades e fortalecer sua marca na web.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.