Google monetização Mônica Candido

Mudança no Adsense pode apagar anúncios em sites e blogs

Os produtores que monetizam conteúdo digital precisam estar atentos às mudanças em sistemas de anúncio que estão por vir. O AdSense, braço publicitário do Google, anunciou mudanças em sua maneira de gerar propagandas automáticas a partir de 14 de março. A alteração pode apagar peças publicitárias em sites e blogs pela internet.

Até então, proprietários de páginas na web podem contar com dois tipos de anúncios automáticos gerados pelo Adsense: gráficos e links. Os anúncios em gráficos são exibidos em formato de imagens ou pequenos vídeos publicitários. Já os links são normalmente utilizados em conteúdos de pequenas dimensões e aparecem em blocos únicos.

O formato de anúncio por links será descontinuado a partir de março. Os blogs e sites que ainda possuam propagandas nesse formato passarão a visualizar os blocos em branco ou eles simplesmente desaparecerão da página.

Outra mudança anunciada pelo Google é que apenas os blocos responsivos, ou seja, aqueles que se ajustam automaticamente ao conteúdo do site continuarão sendo disponibilizados. Os anúncios de tamanho fixo também deixarão de existir a partir de 14 de março.

A ideia, segundo a companhia, é modernizar os formatos de anúncios com base em informações passadas por usuários, editores e anunciantes a respeito do assunto.

Funcionamento do AdSense

O AdSense funciona fazendo a ponte entre uma empresa que pretende anunciar e o veículo que quer receber por esse anúncio. Para isso, basta que o produtor de conteúdo faça um cadastro na plataforma e cumpra os requisitos exigidos como: maioridade, número específico de postagens e/ou visualizações, originalidade e autenticidade do conteúdo, entre outros.

Ao AdSense cabe direcionar os anúncios que se adéquem à audiência de cada site, blog ou canal do Youtube. Uma vez que o anúncio é veiculado, o dono da página ou do canal é remunerado sempre que um usuário clica naquele anúncio.

Embora a peça publicitária seja direcionada automaticamente, o produtor de conteúdo tem autonomia para gerenciar aquelas que serão divulgadas no seu veículo, definindo quais estão ou não adequadas.

 

O valor recebido corresponde a uma porcentagem do valor total pago pelo anunciante ao AdSense. Geralmente, são centavos de dólar que, acumulados, podem gerar receita para o produtor de conteúdo.

Critérios para se cadastrar no AdSense

Para se cadastrar no AdSense é necessário seguir uma série de regras e protocolos. O primeiro passo é conhecer os Requisitos de Qualificação do Google AdSense, que exigem do proprietário do site ter mais de 18 anos e produzir conteúdos que não firam os princípios da empresa.

A ferramenta não remunera sites que fazem apologia à violência ou uso de drogas, que contenham cenas de sexo ou que ofereçam risco à saúde física ou mental dos usuários. Além disso, é importante que os conteúdos tragam informações relevantes e que respondam às dúvidas dos usuários de forma objetiva, sem rodeios e com dados reais, sem mentiras.

O Google não define um número exato de textos em páginas na internet para ser aceito no programa de publicidade. No entanto, é consenso no marketing digital que um blog precisa ter pelo menos 15 textos, cada um com, no mínimo, 600 palavras para ser rastreado pelos motores de busca.

Para o Youtube a situação é um pouco diferente. A plataforma, que está em franco crescimento, tem regras bem definidas para receber anúncios via AdSense. Para monetizar um canal, é preciso ter, no mínimo, mil inscritos, quatro mil horas de conteúdos assistidos nos últimos 12 meses, bom engajamento e conteúdo adequado para os anunciantes, além de direitos autorais do que é postado.

Para abrir a conta no AdSense, basta ter um e-mail do Google, um telefone e uma conta bancária ativa para receber os pagamentos.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.