guest post Camila Fiori

Por que as pessoas estão consumindo mais álcool?

Por que as pessoas estão consumindo mais álcool?
Esse aumento no consumo de álcool pode ser decorrente do estresse e da incerteza provocados pela pandemia do COVID-19.
“Antes do COVID-19, o álcool era um problema significativo de saúde pública e mental”, diz Nicogossian.
“A pandemia criou uma série de problemas que afetam todas as facetas da vida”.

 

Esses problemas podem incluir:

  1. Desemprego;
  2. – Ter que trabalhar na linha de frente (como em um hospital);
  3. – Trabalhando em casa;
  4. – Ter que gerenciar a escolaridade das crianças;
  5. – Perda de um ente querido para o COVID-19;
  6. – A perda de recursos financeiros e/ou suporte emocional e social;

Antes da pandemia, lidar com o estresse significava sair para assistir a um filme ou malhar na academia. Você podia facilmente sair com amigos e familiares quando precisava de algum apoio. Agora, o distanciamento social e outras medidas de segurança para conter a propagação do vírus COVID-19 mudaram a forma como praticamos o lazer e o autocuidado. Pessoas pesquisam sobre
E por que as pessoas estão recorrendo ao álcool para lidar com o estresse da COVID?
“Os recursos e atividades que os indivíduos realizam para reduzir o estresse e melhorar o bem-estar foram significativamente alterados, colocados em espera ou totalmente cancelados”, diz Nicogossian.
Ela observa que, por sua vez, o álcool é uma opção prontamente disponível e é amplamente comercializado como uma forma normal de lidar com o estresse. “Coquetéis e reuniões de quarentena no Zoom tornaram-se populares, assim como serviços de entrega de álcool em casa”, diz ela.
E quem corre maior risco de consumo excessivo de álcool?
“Os indivíduos que correm o maior risco de consumir álcool em excesso durante esse período são variados e complexos”, diz Nicogossian.

 

No entanto, ela afirma que certas situações podem colocar as pessoas em maior risco de consumo excessivo de álcool, como acontece com as pessoas:

  • Com suporte social inadequado;
  • Finanças limitadas;
  • Com algum problema preexistente de saúde mental, uso de substâncias ou dependência química;
  • Com habilidades de enfrentamento limitadas, passivas ou de fuga/entorpecimento;
  • A perda de acesso a um programa de tratamento para dependência de álcool ou substância do qual eles faziam parte antes da pandemia;

Ela acrescenta que os pais, em particular, também podem ter alto risco para o consumo excessivo de álcool devido às novas demandas apresentadas pela pandemia.
“[A pesquisa mostrou que] pais com filhos em casa têm taxas mais altas de estresse relatado e mais sintomas de depressão e ansiedade, em comparação com adultos sem filhos durante a pandemia”, diz ela.
Ainda, Nicogossian aponta alguns sinais que podem alertá-lo sobre o impacto negativo do consumo excessivo de álcool em sua vida ou em uma pessoa querida:

 

  • Tendo problemas para cuidar de seus filhos e estar presente para eles;
  • Sentindo-se cansado, irritado e desmotivado;
  • Sentindo dores de cabeça e sensibilidade ao ruído;
  • Estar deprimido e ansioso;
  • Tendo aumentado o conflito nos relacionamentos;

“O uso de álcool no início pode reduzir os sintomas de estresse ou tensão, no entanto, isso dura apenas um curto período de tempo, talvez alguns minutos para diminuir”, diz ela. Quanto mais álcool é consumido, maiores são as chances de desenvolver efeitos adversos à saúde.
Enfrentamento Saudável:
“O enfrentamento saudável começa com conhecer a si mesmo, estar em sintonia com seus níveis de estresse e quando você não se sente como você, sabendo o que você pode fazer e o que será eficaz para reduzir seu estresse ou ajudar a controlar o estresse e melhorar”. Sugere-se que procure um psiquiatra e uma psicóloga.
Idealmente, as habilidades de enfrentamento devem envolver atividades que reduzam diretamente o estresse ou aumentem o seu bem-estar.

Por exemplo, algumas dessas atividades podem incluir:

  1. Exercícios;
  2. Dormindo o suficiente;
  3. Manter-se hidratado;
  4. Comer alimentos nutritivos;
  5. Cuidar de sua saúde emocional, como ir à terapia;

Se você acredita que você ou um ente querido tem problemas com o consumo excessivo de álcool, Nicogossian diz que é normal sentir uma variedade de emoções, que vão desde a culpa até a preocupação. A bebida alcóolica causa problemas sérios no estômago que só podem ser visto por meio de uma endoscopia. “Quero encorajá-lo a permitir-se sentir, mas ser gentil e compassivo consigo mesmo”, diz ela. “Agora não é hora de se julgar ou de criticar.”
Ela aconselha que você procure uma pessoa que o apoie ou um profissional de saúde para ajudá-lo em sua jornada para reduzir o uso de álcool. “A terapia e o aconselhamento também podem ser um ato poderoso e de apoio de autocuidado, não apenas para obter apoio, mas também para aprender habilidades sobre como controlar o estresse, diminuir o consumo de álcool e melhorar o bem-estar geral”, diz ela.

Sobre o autor | Website

Apaixonada por comunicação. Formada em Jornalismo e blogueira por Hobbie. Atual responsável por este e vários outros blogs de Internet Marketing.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.