guest post Mônica Candido

Estilo Lagom: tendência que vai tornar a sua casa mais intimista

Contra o desperdício, o estilo sueco está conquistando espaço no Brasil.

Sempre nos interessamos pelas culturas de diferentes partes do mundo. Música, comidas, danças e o folclore são alguns dos aspectos que mais chamam atenção, mas há um que muitos deixam de lado: a decoração doméstica.

A cultura de um local interfere na vivência de sua população e, consequentemente, em suas residências. Por isso, nos quatro cantos do mundo, podemos nos deparar com os mais diferentes elementos, que vão de objetos de decoração à disposição dos móveis.

A população da Suécia, por exemplo, investe em um estilo minimalista em suas residências: o Lagom, um estilo sustentável que tem como objetivo reduzir o desperdício em casa, utilizando apenas o necessário. Ficou curioso? Então acompanhe o artigo. 

Significado

O termo sueco lagom tem uma tradução curiosa para o português brasileiro: nem muito, nem pouco, apenas o suficiente. Baseado nisso, a filosofia Lagom (pronuncia-se Lá-gum) busca encontrar o equilíbrio e a moderação no dia-a-dia em meio a um mundo onde todos estão conectados 24 horas. 

Por isso, o estilo Lagom não é algo para ser seguido apenas na decoração de casas: em sua busca por leveza e simplicidade, ele também pode ser aplicado no cotidiano das pessoas. Aqui, utilidade é a palavra-chave. Mas, já que estamos falando de casas, vamos às principais características do estilo Lagom.

Luz e materiais naturais

Um estilo que busca o equilíbrio precisa contar com elementos naturais. Por isso, o estilo Lagom valoriza o máximo de aproveitamento da luz natural, uma característica herdada de seu país de origem, onde as pessoas têm poucas horas de sol durante o dia e buscam aproveitá-las ao máximo.

 

Além disso, a reaproximação com a natureza é incentivada por meio do uso de tecidos como lã e algodão em mantas, almofadas e roupas de cama. Além disso, é importante investir no uso de plantas como elementos de embelezamento da casa — sejam elas verdadeiras, quadros botânicos ou outros tipos de decoração que envolvam a flora. 

Cores neutras

Apesar de ter semelhanças com o minimalismo, há uma diferença marcante entre esse estilo e o Lagom: enquanto o primeiro busca adotar uma paleta de cores marcada pelo preto e branco, o Lagom adota o uso de cores neutras, como tons de azul, verde e cinza.

A chave para o uso das cores, porém, é o equilíbrio, ou seja, nada de exagerar quando for selecionar entre as cores disponíveis para decorar a sua casa. Busque combinar cores, como o verde e o azul, ou utilizar diferentes tons de uma mesma cor em objetos, paredes e móveis. 

Móveis versáteis

A palavra de ordem do estilo Lagom é: utilidade. Por isso, os móveis relacionados a ele devem ser não apenas bonitos, mas também funcionais. Em casas com o estilo Lagom, é comum ver móveis vintage misturados a peças modernas simples, que se complementam de uma maneira nunca vista em outros estilos. Além disso, é preciso se atentar ao fato de que os móveis não devem capturar toda a atenção em um cômodo, pois são parte de um ambiente harmonizado, onde o foco é a leveza. 

Economia

Sendo o Lagom um estilo que busca simplicidade, equilíbrio e reconexão com a natureza, não é surpresa que uma de suas diretrizes seja reduzir o desperdício de energia. A busca de energias sustentáveis é importante para adotar esse estilo de decoração, mas há outro ponto em que ele promove economia: a busca por móveis e objetos que, além de agradáveis e confortáveis para os moradores da casa, sejam também duráveis, é fundamental para evitar o desperdício, como promove a filosofia Lagom. 

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.