guest post Mônica Candido

ERP com e-commerce nativo: a melhor opção para o sucesso no mercado online

Autor: W3ERP 

Atualmente, a economia vive em constante mudança. Tanto as relações de consumo quanto o comportamento do consumidor tornam-se cada dia mais práticos e eficientes. Quem anteriormente comprava apenas em lojas físicas, hoje busca por produtos e serviços sem a necessidade de sair de casa.

É bem provável que seus clientes ou possíveis clientes passem horas do dia com smartphones, tablets ou outros computadores nas mãos. Por isso, é imprescindível que as empresas saibam o que fazer para se adaptarem a este novo modelo de negócio e atrair novos clientes.

Com um e-commerce nativo e um web ERP eficiente, você deixa sua empresa pronta para se beneficiar das novas possibilidades de crescimento geradas pelo mercado virtual. Continue a leitura e saiba como!

Como funciona o comércio eletrônico?

De acordo com pesquisas da EbitNielsen, somente no ano de 2018, o e-commerce brasileiro alcançou um faturamento de 53,2 bilhões de reais. Isso mostra que, mesmo com as constantes mudanças na economia nacional, esta nova opção de mercado continua em pleno crescimento.

Com esta forte tendência crescendo cada vez mais, o esperado é que as oportunidades no setor aumentem e ainda mais consumidores optam pelas lojas online na hora de efetuarem suas compras. Dessa forma, investir em um e-commerce que seja completo e eficiente vem se tornando um caminho natural para qualquer empresa, independente do porte, que deseja se manter competitiva no mercado.

Mesmo após entender mais sobre as grandes oportunidades encontradas no comércio eletrônico, muitos gestores ainda lidam com dúvidas frequentes que, muitas vezes, acabam se transformando em empecilhos em relação ao crescimento da organização. 

Modelo de negócio e commerce

Quando o assunto é e-commerce, é importante alinharmos alguns conceitos, afinal são todos – ou quase todos – consumidores online. Mas devemos entender que a diferença entre esses modelos de negócio online se dá pelos perfis dos clientes.

Essa análise dos clientes ajudará a definir qual o tipo de software utilizado na criação de um projeto de e-commerce. Isso porque, cada mercado necessita de tecnologias e plataformas distintas. 

Entenda melhor as diferenças entre o e-commerce B2B e B2C. 

Modelo B2B 

O mercado B2B (ou Business to Business) uma das modalidades de vendas que vem apresentando maior crescimento, é caracterizado pela relação de compra e venda entre empresas. No mercado business to business, uma empresa vende para outra, que fará a revenda para o consumidor final. 

Um exemplo que temos no mercado é as empresas no ramo de alimentos pets, onde a companhia conta com uma rede de distribuição para outras empresas como petshop, que vendem esses produtos ao consumidor final. 

No mercado business to business, apresenta uma enorme oportunidade, mas é complexa devido às compras em grande quantidade, o que pode gerar variações nos preços de acordo com o volume de compra. 

 

Modelo B2C

Modelo mais comum e prático do mercado, o e-commerce B2C ou Business to Consumer consiste na venda direta para o cliente final, ou seja, uma empresa que vende produtos ou serviços diretamente para o consumidor. O mercado B2C pretende provocar o desejo de compra no maior número de pessoas possível. 

Um exemplo desse modelo é as lojas de varejo, que possuem diversos canais de venda. Mas é preciso ficar atento ao analisar esse modelo e achar que seu público é apenas pessoas físicas. O cliente do ecommerce B2C também pode ser empresas, desde que o produto seja para uso próprio.

Um bom modelo são as lojas de materiais de limpeza, se ela comercializar o produto para uma empresa jurídica para uso interno, sem o objetivo de vendê-las, ela automaticamente estará vendendo para um cliente final. 

Tenha um ERP com e-commerce nativo e não se preocupe com mais nada!

Algumas empresas já desfrutam dos benefícios de contar com uma loja online, que por sinal é uma baita vantagem, já que a empresa passa a vender na internet durante as 24 horas do dia, nos 7 dias da semana. Porém, se esbarram em dificuldades causadas por falhas na integração entre o ERP utilizado e o e-commerce.

Um exemplo muito recorrente acontece em casos onde um problema ou necessidade de suporte é identificada e a empresa não sabe qual equipe acionar. Ou seja, se ela deve entrar em contato com o atendimento do ERP ou do e-commerce. 

É aqui que a mágica acontece! Com um e-commerce nativo você acaba com qualquer dor de cabeça com relação a esses tipos de problemas.

Além de ser uma solução transformadora, solucionando problemas importantes do setor de vendas, otimizando processos administrativos e automatizando sua gestão, o e-commerce nativo conta com a mesma equipe de atendimento e suporte do ERP.

Após o e-commerce ser desenvolvido e implantado pelo mesmo time que implantou o ERP, a solução funcionará como se fosse uma coisa só. Isso é ótimo, não é mesmo? Afinal, com esta opção, você será atendido por quem conhece bem as duas tecnologias.

Imagine que uma indústria vende através de vendedores celetistas e consultores externos, como na indústria de cosméticos, por exemplo, que possuem um e-commerce B2B. Essa empresa pode ser um grupo empresarial que possui empresas com questões e regimes tributários diferentes. Agora, pense em uma empresa como essa com erro de venda no e-commerce na hora da integração.

É preciso garantir que os dados do web ERP cheguem ao e-commerce de forma consistente. Problemas com vendas farão a empresa entrar em colapso, com quebra de estoque ou erros em pagamentos de comissão, por exemplo. Um e-commerce nativo no web ERP evita de maneira extrema tais problemas, pois garante uma absoluta integração dos recursos do sistema de gestão e do e-commerce.

Autor: Márcio Silva CEO da W3ERP 

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.