Uncategorized Mônica Candido

Marketing sensorial: 5 benefícios

Hoje em dia nenhum empresário pode ignorar que diariamente surgem novas estratégias de publicidade e de vendas. Talvez nem todas entreguem o que prometem, é verdade, mas se tem uma que merece atenção é a do marketing sensorial.

Trata-se das estratégias que focam na abordagem ao público com base em nada menos que os sentidos humanos. 

Sendo assim, a visão, audição, tato, olfato e até paladar, mostrando que o marketing não tem fronteiras e pode ir muito além do que imaginávamos.

Lembrando, que se falamos de uma marca conceituada de champagne, não soa nada estranho que um evento envolvendo essa empresa inclua degustações, e portanto, o elemento do paladar. 

Contudo, é possível fazer isso em qualquer segmento ou nicho de mercado.

De fato, ficar preso apenas ao universo online e achar que só ele pode trazer resultados é um erro, ou mesmo um preconceito. 

Ainda há muitos recursos, eventos e ações de marketing offline que podem enriquecer a relação com o cliente.

Por isso, decidimos escrever este artigo, trazendo aqui os 5 maiores benefícios do marketing sensorial, que tem um alto potencial de criar conexão com o público-alvo da empresa, além de detalhes do passo a passo de como realizá-lo.

O diferencial é o vínculo emocional que a marca atinge, como uma assistencia tecnica de informatica computador que consiga causar experiências sensoriais no público, criando uma lembrança positiva, agradável e feliz, como algo realmente memorável.

Lembrando que isso vai ao encontro de várias tendências da atualidade, em total sinergia com as novas gerações, que já não se satisfazem com relações frias de compra e venda, mas justamente com soluções e experiências marcantes.

Portanto, se você quer entender como sua marca pode atrair e engajar mais pessoas por meio do marketing sensorial, basta seguir adiante na leitura.

O que é marketing sensorial?

É preciso entendermos melhor o conceito e o objetivo do marketing sensorial, se quisermos nos tornar realmente capazes de colocá-lo em prática.

Já vimos que se trata de um conjunto de estratégias que visam a impactar as pessoas pelos cinco sentidos humanos. 

Com base em um exemplo, seu passo a passo pode ser:

  1. Visão: a fachada ou arquitetônica da loja;
  2. Audição: o barulho do ambiente interior;
  3. Olfato: o odor predominante do local;
  4. Tato: a textura de um piso, chão ou do produto;
  5. Paladar: uma degustação ou petisco.

Comparativamente, se o marketing tradicional trabalhava sobretudo com palavras e imagens, o grande diferencial é se tornar capaz de atravessar a barreira da visão, fazendo algo que não será tão direto quanto a comunicação verbal.

De fato, uma coisa é você ver um banner com foto dentro de uma loja, outra é entrar no estabelecimento e identificar que existe uma música tema que acompanha aquela marca.

Neste segundo caso você já criou um laço afetivo maior, que não ocorre de modo direto ou discursivo, mas discreto e semiconsciente.

A razão para aplicar essas estratégias é que hoje em dia a concorrência é tão grande, que as marcas já não podem se acomodar. 

É preciso ser disruptivo, lutar por um espaço no mercado e quebrar paradigmas, sob o risco de acabar ficando para trás.

Seus benefícios

Adiante vamos verificar os principais benefícios e vantagens que essa abordagem traz.

1. O encanto completo

O primeiro grande benefício do marketing sensorial é o fato de que ele é capaz de preencher todas as formas de relação humana com o mundo externo.

Se formos lembrar, a maioria das experiências mais marcantes que temos ocorre dessa mesma forma, como um “encanto completo”, e não apenas uma dimensão do corpo.

Por exemplo, acompanhar o batismo do filho por uma webcam seria consideravelmente pior do que estar presencialmente, no local. 

Já algo como um casamento é impossível alguém fazer a distância, não é mesmo? Uma festa de formatura, o primeiro beijo e as demais experiências marcantes da vida seguem a mesma linha. 

Agora imagine se uma grafica de impressao digital conseguir proporcionar uma experiência de “encantamento completo”.

Estimulando os 5 sentidos completos essa possibilidade cresce cada vez mais. No mínimo, a marca que souber fazer isso vai se diferenciar das que não fazem.

2. Sobre o desejo de compra

Acima falamos sobre o caso do champagne e do paladar, que no fundo diz muito sobre o desejo de compra das pessoas, e como despertá-lo de modo positivo.

Um dos maiores motivos para um cliente que já está conectado, gostou da sua solução oferecida mas está com receio de consumir, é que ele pode ter medo de se arrepender.

Essa é uma das objeções mais comuns, especialmente porque é uma que o cliente quase nunca vai explicitar ou confessar diante do vendedor.

É aí que entra o diferencial, permitindo que o cliente faça uma degustação gratuita, um “test drive”, ou que simplesmente vá à loja conhecer e tocar um armario arquivo para escritorio antes de se comprometer a pagar pelo produto.

 

Esses modos de lidar com o desejo de compra, tentando aumentá-lo, sempre existiram. O que o marketing sensorial vem fazer é tornar esse processo mais sistemático e mais propositivo.

Sendo assim, em vez de funcionar como reação a um interesse já despertado no cliente, as estratégias vão ao encontro dele como modo de criar a situação e acelerar não apenas o desejo, mas a decisão de compra.

Se o produto ou solução é uma novidade no mercado, que pode exigir uma educação do público-alvo, a estratégia funciona ainda melhor.

3. A identidade da marca

O exemplo que demos das experiências mais marcantes de nossas vidas tem tudo a ver com uma tendência da atualidade.

Que fala que as marcas precisam criar modos de se aproximar do cliente como se fossem uma pessoa real. Não basta ser um CNPJ.

As redes sociais estão aí para provar como a informalidade, os emojis e os memes podem ajudar nesse processo, fazendo com que as pessoas se interessem muito mais pelos conteúdos que, em situações normais, seriam apenas mais um anúncio chato.

Porém, se memes podem impactar um cliente, imagine o seguinte:

  • Uma música de fundo;
  • Um tecido ou piso confortável;
  • Uma degustação de qualidade;
  • Um odor mais perfumado;
  • Um jogo de luzes harmoniosas.

Enfim, se a empresa trabalha com mobiliario urbano em Sao Paulo, ela pode simplesmente montar um stand com apresentação dos seus produtos, trazendo peças reais para verificação in loco.

Esses eventos também costumam ter música, petiscos e afins, portanto, o cliente vai acabar assimilando aquelas sensações à própria identidade da marca em questão.

Sendo assim, mesmo que a experiência vá muito além do produto ou serviço oferecido, é possível utilizar os sentidos do corpo como um suporte.

Assim, além de já contar com identidade visual e verbal, que toda marca tem no logotipo, na paleta de cores, no slogan e daí em diante.

Ela vai ter um arsenal de estratégias sensoriais que ressignificam seu marketing e toda a comunicação com o público.

4. Seja uma Top of Mind

Não é novidade para ninguém que as maiores marcas do mundo são aquelas que simplesmente conseguiram criar uma identidade sensorial.

São as chamadas “Top of mind”, que fazem você pensar nelas quando pensa no produto, como um computador, um celular, um refrigerante, um hambúrguer. 

Pois saiba, que com o marketing sensorial você também pode fazer isso, guardadas as proporções.

Por isso, é tão comum ouvir falar em “experiência da marca”. Também por isso é comum que restaurantes, lojas de esporte e outras invistam cada vez mais em estímulos que passam por todos os sentidos.

Um exemplo é a textura de uma poltrona, que precisa ser igual em todas as lojas da rede. 

Outro exemplo é a música, que também precisa seguir a mesma linha em todos os pontos de venda. Tudo isso é o que garante a identidade e experiência da marca.

5. A fidelização do cliente

Quem já venceu desafios no comercial de qualquer empresa sabe que conquistar novos clientes não é nada fácil. 

Por isso, mesmo o processo de fidelização tem se mostrado cada dia mais importante, a ponto de gerar várias estratégias voltadas exclusivamente para isso, como os famosos benefícios e programas de fidelização que têm se disseminado.

Assim, se a empresa presta automacao eletrica industrial, ela pode fazer valores mais em conta, ou oferecer prazos menores, para quem renovar o contrato de hardware e de software.

No caso do marketing sensorial essa estratégia se torna ainda mais poderosa, já que os mesmos fatores que vão gerar encantamento são aqueles que vão fazer a pessoa ganhar confiança em relação à marca.

É justamente aí que está o ponto: ao despertar a confiança de um cliente, dificilmente sua concorrência vai conseguir levá-lo, sobretudo se você souber renovar rotineiramente a sua experiência de marca com esse mesmo cliente.

Considerações finais

Tudo o que vimos deixa claro que o marketing sensorial vai muito além de simplesmente trabalhar o aspecto visual e racional de uma pessoa, como por meio de um flyer de divulgacao.

Ele vai trabalhar também um olfato perfumado, o tato de um tapete térmico que chama a atenção do cliente ao entrar na loja, o paladar de um coffee break inesquecível que reforça a memória afetiva, e daí em diante.

Portanto, esses 5 benefícios que aprofundamos representam os pilares dessa estratégia que pode mudar a história da sua empresa.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.