guest post Gustavo

Você sabia que cachorros podem passar algumas doenças para os humanos?

Saiba mais sobre a micose, a leptospirose, a raiva e outras patologias caninas que podem contaminar pessoas

Estar atento à saúde do seu melhor amigo é muito importante. Como tutor, um dos seus papéis é saber identificar os sinais que um cachorro doente emite. Os mais comuns são mau hálito, olhos amarelados, lamber as patas excessivamente e manter a cabeça sempre inclinada.

Caso o seu bichinho não receba o tratamento adequado, além do risco de evolução da doença, também existe a possibilidade de transmissão de vírus, bactérias e parasitas para os seres humanos (zoonoses) por meio de mordidas, agentes infecciosos nas fezes ou até mesmo lambidas. 

Por esse motivo, levar seu cãozinho ao veterinário periodicamente é fundamental. Assim, ele será desparasitado, vacinado e avaliado, o que reduz as chances de infecção e, consequentemente, de transmissão de doenças para pessoas.

Neste artigo, reunimos as principais doenças de cachorros que podem passar para os seres humanos. Acompanhe a leitura!

Micose

A micose é causada por fungos e é uma doença que pode ser transmitida por meio do contato direto com a pele do animal infectado. Os principais sintomas são manchas avermelhadas e coceiras intensas. 

Em caso de suspeita, o ideal é buscar a ajuda de um dermatologista. Dessa forma, o especialista vai identificar o fungo e recomendar o tratamento adequado. Normalmente, são ministrados antimicóticos ou antifúngicos. 

Leptospirose

Já a leptospirose é causada por uma bactéria chamada leptospira. Trata-se de uma doença infecciosa febril e aguda que, embora seja frequentemente encontrada na urina de ratos, também pode estar presente na urina e nas fezes de outros animais, como cães e gatos.

Ela é transmitida pelo contato direto com as secreções do animal infectado ou por meio de água contaminada das enchentes. É uma doença considerada grave e causa dor nas pernas, na cabeça e no corpo, além de comprometer o fígado.

Após o diagnóstico médico, o tratamento, realizado por meio do uso de antibióticos, deve ser iniciado imediatamente.

Doença de Lyme

O que provoca a doença de Lyme é a mordida de carrapato. Entre os sintomas da doença, além de coceira intensa, está o surgimento de manchas avermelhadas ou esbranquiçadas na pele do cãozinho

 

Após a confirmação do diagnóstico, o tratamento deve ser iniciado imediatamente. Ele consiste no uso de antibióticos por aproximadamente quatro semanas.

É importante ressaltar que, mesmo com o desaparecimento dos sintomas, o tratamento deve ser seguido à risca pelo tempo determinado pelo médico.

Raiva

A raiva é uma das zoonoses mais conhecidas entre as pessoas. Os seres humanos podem ser contaminados pela doença por meio da mordida de um animal doente.

Embora a transmissão mais comum seja pelos cachorros, também existe a possibilidade de contágio por gatos, morcegos, guaxinins e outros animais.

Ela compromete o sistema nervoso e ocasiona sintomas como salivação intensa, espasmos musculares, mal-estar, náuseas, cefaleia, irritabilidade, entre outros.

Ao ser mordido por um animal não vacinado, é indicado lavar a região com água corrente e procurar a emergência mais próxima. Assim, você vai receber a vacina contra a raiva e a indicação de tratamento adequado para evitar uma possível evolução da doença.

Capnocytophaga canimorsus

A bactéria capnocytophaga canimorsus é encontrada em gengivas caninas e felinas, podendo ser disseminada por meio de arranhões, lambidas e mordidas.

Ainda que não seja comum causar sintomas nos animais, pode causar febre, vômitos e diarreia em seres humanos, especialmente em pessoas que possuem alguma condição que comprometa o sistema imunológico, o que facilita a propagação da bactéria pela corrente sanguínea.

Embora esta seja uma doença rara, é fundamental que seja tratada o mais breve possível, uma vez que sua evolução é rápida e pode ser fatal. Na maioria dos casos, o tratamento consiste no uso de antibióticos.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.