Uncategorized Thaís Correa

4 dicas de planejamento financeiro para autônomos

Os profissionais autônomos precisam de um bom planejamento financeiro para evitar problemas com o dinheiro. 

Até mesmo quem não possui uma renda fixa todo mês, ter essa organização é fundamental.

É exatamente por essa razão que esse planejamento precisa se tornar um hábito de quem atua como autônomo. Se a pessoa não sabe quanto vai receber por mês, então ela precisa ser ainda mais cuidadosa.

É muito importante prever o dinheiro que entra, analisar os gastos fixos e equilibrar esses dois pontos para evitar o endividamento.

Quem é contratado pelas empresas tem mais segurança em relação ao salário porque sabe exatamente o quanto vai receber, o que facilita a organização das finanças.

Os autônomos podem variar nesse sentido e se você não tiver controle, pode gastar mais do que deveria. 

O planejamento financeiro traz mais previsibilidade e ainda ajuda a aproveitar melhor o dinheiro que sobra.

Se você é profissional autônomo e quer cuidar melhor do seu dinheiro, não perca este artigo. Vamos explicar a importância do planejamento financeiro para essas pessoas e ensinar seu conceito e características.

Em seguida, vamos dar algumas dicas para planejar melhor as finanças e evitar os problemas com dinheiro. 

Importância do planejamento financeiro para autônomos

A organização financeira deve ser prioridade para qualquer pessoa, mas para os autônomos ela é ainda mais importante para evitar que o profissional trabalhe muito e não veja resultados financeiros.

Aquela máxima que diz que o que não é medido também não é gerenciado se encaixa muito bem à necessidade de se organizar financeiramente, para quem trabalha por conta.

No dia a dia, uma simples pasta para documentos personalizada já ajuda a reunir as contas a pagar, mas existem outras coisas que fazem parte do planejamento.

Quem é autônomo não precisa constituir uma empresa para trabalhar, mas também tem de lidar com algumas burocracias, tais como:

  • Pagamento de impostos;
  • Taxas;
  • Licenças;
  • Emissão de nota fiscal.

De nada adianta querer fugir dessas responsabilidades, se fizer isso, o profissional acaba acumulando problemas que podem se transformar em algo mais difícil de ser resolvido no futuro.

Nesse sentido, o planejamento financeiro é importante porque evita que o autônomo misture as despesas pessoais com as profissionais, o que acaba gerando problemas até com a receita federal.

A falta de organização também atrapalha na hora de planejar melhorias para o negócio, de médio e longo prazo, como expansão, contratação de funcionários, dentre outros.

Para evitar qualquer transtorno, a primeira coisa a se fazer é separar o dinheiro do momento em que ele entra no caixa.

Também é importante se organizar para conseguir crédito, visto que os critérios para empréstimos empresariais para os autônomos são um pouco diferentes.

Com as finanças organizadas, por meio da ajuda de uma planilha e uma pasta de papel personalizada, fica muito mais fácil conseguir crédito, além de evitar contrair dívidas muito grandes.

O planejamento também é muito importante para os autônomos que gostam de tirar férias todos os anos, afinal, um momento de descanso é muito importante para a saúde física e mental.

Esse planejamento, quando bem executado, permite prever quando é possível tirar férias, se o profissional pode aproveitar um feriado prolongado, dentre outros momentos de descanso, sem prejudicar o negócio.

Por fim, esse cuidado também é importante para criar uma reserva de emergência e manter o fluxo de caixa. A reserva é fundamental para os momentos de crise ou quando o mercado está em baixa.

Para se ter uma ideia, o ideal é que o autônomo possua uma reserva de 3 a 6 vezes maior do que seus gastos mensais e que seu orçamento familiar. Dessa forma, terá mais tranquilidade quando a demanda cair.

Afinal, o que é planejamento financeiro?

Planejamento financeiro nada mais é do que organizar as finanças, controlar os gastos, anotar todos os ganhos e se sentir seguro em relação ao dinheiro.

Por meio desse controle, um pequeno fabricante de etiqueta de roupa melhora sua saúde financeira e cria oportunidades de crescimento.

É por meio dele que os profissionais autônomos equilibram sua renda e seus gastos, consequentemente, fica mais fácil alcançar os objetivos financeiros, sejam eles pessoais ou profissionais.

O planejamento pode ser feito de médio a longo prazo, sendo uma prática que deve ser revista constantemente.

Para planejar as finanças, também é necessário adotar medidas lógicas, ou seja, são ações praticadas e que não funcionam de maneira isolada. 

O profissional autônomo deve fazer esse planejamento tendo como base seus objetivos e um plano de ação.

 

Quem não controla quanto ganha ou quanto gasta, dificilmente saberá o quanto precisa aguardar para alcançar um objetivo e quais são as possibilidades reais de fazer a empresa crescer.

Tanto uma pequena loja quanto um fabricante de etiqueta personalizada para roupas encontram no planejamento financeiro a estrutura que precisam para colocar os planos em prática.

Trata-se de um controle preciso para descobrir a quantia que terá em caixa, o valor ideal para uma reserva financeira, tipos de investimentos mais adequados, dentre outras informações.

Como fazer um excelente planejamento financeiro?

Um bom planejamento financeiro precisa seguir um passo a passo, constituído pelas seguintes estratégias.

1.    Separar as finanças

A primeira coisa a se fazer é organizar as finanças, separando o dinheiro do negócio do dinheiro pessoal. Mesmo sendo uma coisa óbvia e básica, muitas pessoas se confundem e acabam misturando as quantias.

Quando isso acontece, fica muito difícil diferenciar os gastos, o que aumenta os riscos de endividamento. 

Para fazer essa separação, tenha uma conta física e uma conta jurídica, destinando o dinheiro certo para cada uma delas.

Só que além de separar as finanças, uma pessoa que trabalha com aluguel de maquina de xerox deve estabelecer alguns planos, como expandir o negócio, fazer uma viagem de férias, dentre outras possibilidades.

Tudo isso deve ser incluído no planejamento financeiro, incluindo os custos desses objetivos, o quanto precisa guardar todo mês, estabelecer um prazo para esse planejamento, dentre outras informações que achar necessárias.

2.    Conhecer as próprias despesas

Depois de separar as finanças é um momento de conhecer as contas a pagar, e elas devem ser inseridas em planilhas, sendo uma para o negócio e outra para a vida pessoal.

É fundamental ser detalhista na hora de incluir as despesas na planilha, sem se esquecer de nada, desde as contas fixas, como aluguel, internet, água e luz.

Até as despesas momentâneas, como um café na padaria, uma compra, entre outras.

Na mesma planilha, inclua os ganhos, pois é dessa forma que você vai se certificar de que a conta fecha e terá mais clareza em relação às suas finanças.

Se o profissional recebeu o valor X, e precisou investir X em cartuchos para impressoras, tudo deve ser inserido no planejamento.

Se você perceber que tem algo errado, identifique as despesas desnecessárias e faça alguns cortes, pois isso te ajuda a economizar. 

Os valores poupados podem ser usados para criar uma reserva de emergências ou aplicados em um investimento.

Não se esqueça de incluir meses com faturamento menor ou aqueles em que os gastos são maiores, como as despesas no começo do ano, afinal, elas costumam impactar nas finanças.

3.    Escolher bons investimentos

Depois de organizar as despesas, procure observá-las por uns 3 meses, caso note uma estabilidade, então chegou o momento de pensar em um bom investimento.

Um aluguel de endereço comercial em um espaço maior, pagar uma previdência privada, comprar um título, dentre outras possibilidades, são investimentos que podem trazer bons retornos no futuro.

Deixar o dinheiro na poupança é uma grande perda de tempo, e guardá-lo em casa pode até mesmo representar um risco.

Procure opções com liquidez diária, ou seja, investimentos que permitam o resgate a qualquer momento. Ao invés de manter um valor guardado, você coloca o dinheiro para trabalhar por você, sem precisar fazer nenhum esforço.

Mas, antes de escolher o investimento, estude o seu perfil de investidor, a taxa de rentabilidade das opções, se o valor será descontado do imposto de renda e qual o prazo para resgatá-lo.

4.    Acompanhar o planejamento

Por fim, lembre-se de que independentemente de qual seja o seu objetivo, como aluguel de sala privativa para expandir os negócios, é crucial acompanhar o planejamento financeiro de perto.

Ele deve se tornar um hábito e ser mantido pelo resto da vida, dessa forma, o profissional autônomo terá mais segurança financeira e independência para fazer o que quiser.

Conclusão

Resumindo, os profissionais autônomos podem ir muito mais longe se souberem se organizar financeiramente, e como vimos ao longo deste artigo, não é difícil fazer isso.

Seguindo nossas dicas, suas finanças serão muito mais saudáveis e prósperas, o que vai trazer benefícios para a sua vida pessoal e profissional.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.