guest post infraestrutura Mônica Candido

Curva ABC, estoque e o controle eficiente

Você sabe da relação da Curva ABC e o estoque? Não tinha ouvido falar? Sem problemas, pois neste texto iremos mostrar o conceito e como fazer para ter números impressionantes e chegar mais rápido ao sucesso empresarial.

A Curva ABC é uma forma de classificar itens pertencentes a um estoque com base nos valores de consumo atribuídos a eles, sendo que o valor de consumo é um poder subjetivo que o próprio consumidor atribui, sendo variável de acordo com as tendências.

Essa abordagem é baseada no Princípio de Pareto, no qual faz um vislumbre de que muitas das condições de causa e efeito são regidas pelos números 20 e 80: oitenta por cento dos efeitos são relativos a 20% das causas. Complicou? A gente descomplica.

Em outras palavras, o Princípio de Pareto afirma que diversas situações de causa e efeito possuem esses números. Por exemplo, 80% do faturamento da empresa provém de 20% dos produtos em estoque. Ou 80% dos resultados de uma campanha são atribuídos a 20% dos colaboradores envolvidos.

Logo, podemos afirmar que a Curva ABC é uma lógica que ajuda empresários a entenderem quais mercadorias geram mais receita para o empreendimento. Mas não fica restrito a isso, sendo, por exemplo, aplicada no marketing e até mesmo para aumentar a produtividade da equipe.

Entretanto, essa matéria cuidará especificamente da Curva ABC no estoque, que é a força motriz econômica de qualquer empresa. Continue nos acompanhando!

Curva ABC no estoque?

Sim, a Curva ABC é fundamental para quem quer ter um controle efetivo dos produtos no estoque. Aliás, não apenas isso, mas compreender formas e hábitos de consumo, além da valorização e investimento nos produtos com mais procura.

Por que “ABC”? Pois o estoque será dividido em três grupos que serão diferenciados pelo valor de consumo:

  • Grupo A: equivalente aos 20% do estoque que representa 80% da receita da empresa
  • Grupo B: equivale aos 30% do estoque que representa 15% da receita
  • Grupo C: equivale aos 50% do estoque que representa os 5% restantes da receita

 

Curva ABC, estoque e o controle eficiente

Fonte: olist

A classificação da curva ABC no estoque é fundamental para o gerenciamento bem-sucedido por vários motivos. Principalmente, porque ele permite que o coordenador do setor:

  • Identifique os itens de estoque que representam os maiores riscos de negócios devido a pouca procura e os que representam as maiores oportunidades de vendas
  • Priorize adequadamente seu tempo
  • Capacite os colaboradores para cuidar da manutenção do estoque

Como fazer a classificação ABC?

De um modo geral, existem dois métodos de classificação de Curva ABC para estoque. A escolha fica de acordo com o perfil do lojista. Alguns profissionais categorizam os itens com base na rotatividade.

Por exemplo, os produtos pedidos com mais frequência ficariam na categoria A, os itens com procura menor que a categoria A ficariam na B e os itens pedidos com menos frequência ficariam na Categoria C.

A escolha desse método também pode ser definida pelos itens de alta rotatividade (com intervalo de compra e venda bem curto). Esses produtos são mais propensos a sofrer rupturas de estoque e causar alguns transtornos se não forem bem administrados.

 

Isso significa que eles são mais suscetíveis a perda, roubo, deterioração ou danos. Consequentemente, os coordenadores devem ficar atentos ao grupo A, realizando auditorias com mais frequência.

Por outro lado, há quem prefira categorizar a mercadoria com base em seu valor. Os itens mais caros se enquadram na categoria A, itens com preço médio se enquadram na categoria B e os itens mais baratos se enquadram na categoria C.

A escolha dessa categorização é que essas mercadorias representam as maiores vendas individuais de uma empresa. Logo, também representa um maior potencial de perda.

Como calcular uma Curva ABC?

Um fato é indiscutível: nenhuma decisão empresarial deve ser tomada baseada em “feeling”. O “eu acho” não tem vez e as decisões devem ser baseadas em dados obtidos. Aliás, você utiliza  filosofia Data Driven?

A orientação em relação a novos investimentos e campanhas deve ser sempre baseada em dados obtidos por meio de KPIs. Portanto, vale a pena ler um pouco mais sobre Data Driven e como utilizá-lo em sua empresa.

Sendo assim, você pode analisar os dados e chegar a conclusão de que os produtos em estoque que geram mais retorno são os itens mais caros. Por outro lado, seus itens de estoque do grupo A podem ser mercadorias com preços moderados que são vendidos em grandes quantidades.

Os lojistas identificam isso de duas formas: observando a demanda de um item e o custo. Quando as demandas entre diferentes produtos são iguais ou próximos, o ideal é focar no custo.

Agora, quando o custo de itens diferentes é igual ou muito próximo, os empreendedores devem focar na demanda. Nessas horas, para organizar melhor essa situação, uma planilha é a melhor saída para reunir as informações.

Aliás, é possível encontrar na internet planilhas gratuitas de Curva ABC focado em estoque já pré formatadas e prontas para usar. 

Curva ABC para e-commerces e marketplaces

Para o comércio virtual a Curva ABC voltada para estoque deve ser interpretada de uma forma um pouco diferente. Apostar nos 20% do estoque que é mais lucrativo pode não ser a alternativa mais acertada se o foco é se destacar na concorrência.

É muito comum que a maioria dos lojistas que anunciam em marketplace façam isso, tornando a concorrência de produtos similares muito competitiva. Segundo o olist – o marketplace dos marketplaces – “isso pode resultar na canibalização do mercado, com vendedores praticando preços gradativamente mais baixos, que pressionam as margens de lucro para baixo. Para reduzir esse risco, vale a pena apostar nas demais curvas de venda“.

Por fim, caso queira saber mais sobre estratégias que envolvam a Curva ABC no estoque, recomendamos que leiam Curva ABC e cauda longa: escolhendo a melhor estratégia para o e-commerce

Desejamos boas vendas!

Este texto foi escrito pela equipe do olist, uma solução completa para lojas que querem vender online de forma prática e profissional. Com milhares de lojas parceiras em mais de 180 países, o olist tem ferramentas que facilitam a criação de loja virtual, a venda em marketplaces e a operação logística no e-commerce. Conheça o olist.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.