guest post Mônica Candido

Seguro de vida e seguro de acidentes pessoais: existe diferença?

Muitos cidadãos têm dúvidas se os seguros de vida e o de acidentes pessoais são a mesma coisa. E essas dúvidas podem causar muita confusão na hora de contratar e até mesmo de acionar o seguro.

Mas além das diferenças, também há semelhanças entre eles. Talvez por isso haja essa confusão de conceitos.

Por isso, na hora de contratar um seguro, o cliente deve procurar entende como cada um funciona e também entender as suas próprias necessidades. E nessa hora, contar com o suporte de um advogado especialista em seguros deixa o negócio bem mais seguro.

Por isso, para acabar de vez com todas as dúvidas a respeito este tema e entender as semelhanças e as diferenças entre eles, não deixe de ler este artigo até o final.

Qual a principal diferença entre seguro de vida e seguro de acidentes pessoais?

Essa dificuldade em diferenciar um seguro do outro, entre outras coisas, se deve ao fato de que ambos possuem cobertura em casos de morte. Além disso, é possível escolher quais os beneficiários. Mas vamos nos atentar as diferenças entre eles, porque isso é o crucial no momento da escolha por qual deles contratar.

Talvez a mais importante diferença entre o seguro de vida e o Seguro de acidentes pessoais é o objeto a ser assegurado. Enquanto o seguro de vida garante cobertura para morte natural e também para morte acidental, o seguro para acidentes pessoais só possui cobertura para morte ou invalidez decorrente de algum tipo de acidente.

O seguro de vida também permite que o contrate adicione outras coberturas, variando conforme o oferecido por cada seguradora.

Essa diferença entre eles impacta diretamente no preço. O seguro de vida por ser bem mais amplo possui um preço mais alto que o outro, já que ele possui uma cobertura bem restrita.

Dessa mesma forma, o prêmio de cada um deles também é calculado de maneira diferente. O Prêmio, nada mais é que, o valor pago pelo contratante a seguradora para que assim tenha direito a receber o valor do seguro.

No seguro de vida o valor sobe conforme a idade do segurado avança, ou seja, idosos pagam um valor maior que os jovens. Já no seguro de acidentes pessoais não há essa relação entre o preço e a idade das pessoas.

Já em relação à contratação, ambos oferecem a possibilidade contratar de forma individual ou coletiva.

 

Seguro de vida e seguro de acidentes pessoais: quais as coberturas possíveis em cada um deles?

Como já foi dito, principal diferença entre esses seguros é a cobertura. Entenda melhor sobre cada uma.

  1. Seguro de vida

A cobertura básica de um seguro de vida é a morte, seja por causas naturais ou por acidente. Além dessas, o segurado pode adicionar outros tipos de cobertura, como por exemplo, a indenização especial em caso de morte causada por acidente ou ainda o serviço de assistência funeral para si e para a família.

Além do objeto vida, esse tipo de seguro pode ter como adicional o seguro de pessoas. Nesses casos, pode assegurar diversas situações, como a de invalidez permanente laborativa ou funcional causada por doenças, assim como diárias por internação hospitalar ou por incapacidade temporária.

  1. Acidentes pessoais

Já a cobertura do seguro de acidentes pessoais envolve apenas duas ocorrências: a morte do segurado causada por acidente ou ainda a invalidez permanente parcial ou total. Ou seja, qualquer segurado que sofrer algum tipo de acidente involuntário e súbito e que provoque a morte ou graves lesões físicas. Ele também garante o tratamento dessas lesões.

Algumas situações não são cobertas por este tipo de seguro. Veja:

  • Acidentes sem danos ao segurado;
  • Acidentes com danos considerados temporários;
  • Doenças causadas pela profissão, ainda que provenientes de acidentes;
  • Complicações causadas por algum tratamento ou cirurgia médica, desde que estes não sejam decorrentes de algum tipo de acidente pessoal.

Existem diferenças na escolha do beneficiário?

Tanto no seguro de vida, quanto no seguro de acidentes pessoais, os beneficiários são escolhidos pelo segurado de forma livre. Isto é, o contratante nomeia a pessoa que ele quiser para ser o beneficiário do seguro, desde que esses nomes sejam escolhidos no ato da contratação e constem na apólice do seguro. Alterações são permitidas, desde que se concretize antes do evento, é claro.

Caso não haja uma indicação específica, a indenização será dividida entre os herdeiros, obedecendo à ordem de sucessão imposta pela legislação. Esses valores também não farão parte do inventário e nem são utilizados para quitar possíveis dívidas deixadas pelo contratante segurado.

Conclusão

Antes de escolher entre contratar um seguro de vida ou de acidente pessoais é necessário conhecer suas particularidades, bem como é importante entender a necessidade de cada segurado.

E pata que essa escolha seja feia com segurança, o ideal é contar com o suporte e orientação de um advogado especialista em seguros. Só este profissional terá o conhecimento suficiente para entende qual deles supre as necessidades, bem como poderá assegurar a assinatura de um contato sem cláusulas abusivas.

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.